Lula da Silva diz que está disposto a ser um candidato depois da condenação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado a nove anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, disse que está disposto a ser candidato à presidência pelo Partido dos Trabalhadores (PT) antes das eleições gerais de 2018.

“Quero dizer o meu partido que até agora não tinha reivindicado, mas a partir de agora eu vou reivindicar a PT o direito de me colocar como candidato para a candidatura”, disse Lula, que até agora tinha expressado seu desejo de apresentar o eleições do próximo ano, mas nunca de forma tão contundente.

Lula foi condenado na quarta-feira os primeiros nove anos e seis meses de prisão pelo juiz distrital Sergio Moro como uma questão de corrupção associados à rede que operava no estado Petrobras, mas a sentença ainda não é final e deve ser ratificado por um tribunal superior.

“Se alguém pensa que isso me afastar do jogo (político) pode saber que eu estou no jogo”, disse Lula em sua primeira declaração pública após a condenação.

Lula aparece atualmente como o líder mais valorizado nas pesquisas, apesar dos muitos escândalos de corrupção em torno dele por seu suposto envolvimento na trama gigantesca corrupto que operava no estado Petrobras. Vale lembrar que todas estas pesquisas são financiadas pelo Partido dos Trabalhadores, por isso tais resultados nem sempre são fiéis à realidade.

A sentença foi proferida em primeira instância, pelo juiz federal Sergio Moro, responsável pelo caso Lava-Jato que já prendeu diversos dirigentes de alto escalão como políticos e empresários, pode ser revertida por um tribunal superior.

Só se a segunda instância ratificar esse julgamento, Lula perderia seus direitos políticos e, portanto, não pode ser um candidato para as eleições presidenciais de 2018.

Rodeado por dirigentes e militantes do PT, o condenado criticou o Poder Judiciário e imprensa nacional por suas supostas tentativas de removê-lo da cena política e uma declaração de que era “político”.

“Que me esperem aqueles que querem o fim do Lula (…) Eu estou pronto para lutar da mesma forma como quando eu tinha 30 anos”, disse ele.

Ele também alertou sua militância “terá um candidato com problemas legais sobre as costas” e prometeu “lutar” com seu próprio partido para “ganhar apoio” e finalmente “lutar nas ruas para convencer a sociedade”, ameaçando autoridades e a justiça de retaliação caso seja de fato preso.

Fonte: EFE

Comments are Closed